Atualizações de julho, 2010 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • Renato Limonge 4:30 pm em 20/07/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: adwords, analytics, banners, campanhas na web, CTR, , , sites   

    CTR? 

    Análise de conversão, CTR, impressões… o que avaliar em uma campanha na web? Como montar uma campanha? Seja de links patrocinados, banners em portais, rede de conteúdo ou o que for… sempre bate aquele “e agora, como fazer?”.

    Bom, de antemão já adianto… tudo é relativo! Mas vamos colocar isso em duas hipóteses para simplificar:

    1 – Preciso divulgar uma empresa regional, que atua apenas no interior de São Paulo e vende paçoca; eles querem colocar banners em alguns sites (!!!!) e fazer links patrocinados.

    O ideal seria: Investimento superior em redes de busca e aplicação também em redes de conteúdo com palavras-chave bem segmentadas (inclusive região), afinal, trata-se de um segmento de difícil divulgação online; com certeza jogar na mão do São Google pode gerar mais resultados do que aplicar banners em sites a Deus dará; caso realmente seja necessário e o cliente bata o pé para utilizar banners, procure sites que oferecem redes segmentadas de blogs regionais e outros sites parceiros da região com tema similar ao que você deseja divulgar, pois é um público muito complicado de atingir em portais amplos (portais regionais são uma boa opção).

    2 – Uma empresa nacional de grande porte que comercializa eletrônicos deseja fazer com que sua marca seja mais divulgada na web; carta branca para explorar o melhor meio (sonho bom hein…rs).

    O ideal seria: Caso o objetivo seja apenas promover o nome da marca (institucional) vale explorar banners em portais diversos e em páginas específicas do tema (tecnologia, games, eletrônicos); vale lembrar que quanto maior o banner, maior a atenção e por consequência o CTR, mas nada de exageros. Vale também lembrar que os banners devem ser alterados de tempos em tempos para chamar a atenção… se você deixar sempre o mesmo banner, com certeza o público em pouco tempo não notará mais sua presença.

    Seria interessante também a aplicação de rede de busca e conteúdo em uma escala mais ampla; palavras segmentadas, porém, abertas a todo o país.

    Se o objetivo for aumentar as vendas, foque mais em redes de busca e banners varejistas (confira, imperdível, promoção), apesar de clichês, funcionam muito bem nesse caso.

    Já com relação ao resultado, digo novamente… é muito relativo.

    Recentemente fiz uma campanha focada em rede de busca e conteúdo para uma marca de computadores que bolou uma promoção exclusiva para professores; tive CTR superior a 8% na rede de busca e 0,7% em rede de conteúdo. Já uma campanha institucional para a mesma marca com banners em portais teve CTR de 0,12%, o que considero baixo, porém, posso contar com a visualização da marca e o impacto que o banner proporciona, mesmo sem o clique, afinal, isso pode gerar uma busca posterior.

    Por fim, na internet nada é previsível; a mensuração pode ser sua melhor amiga ou sua pior inimiga, tudo depende da sua interpretação, do seu objetivo e principalmente, do seu planejamento!

    Anúncios
     
  • Renato Limonge 11:43 am em 16/07/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: camiseteria, , case mídias sociais, , cases redes sociais, , fiat, humanidade 5.0, , tecnisa   

    Cases em social media – Como entender? 

    Todo dia vejo diversas pessoas divulgando cases de empresas em redes sociais; é um tal de Tecnisa pra lá, Fiat pra cá, Camiseteria ali… e mais um monte de gente querendo mostrar que “rede social realmente funciona para negócios”.

    Não nego, funciona… e muito bem, dependendo do uso, surte muito mais efeito do que uma comunicação tradicional, porém, o que falta à maioria entender é o objetivo da comunicação em redes sociais!

    Fazem perfil da empresa em Twitter, Flickr, Facebook, Orkut, WordPress, Blogger, Formspring e afins, saem atirando conteúdo como um Shoptime da vida, sem dó nem piedade… colocam um estagiário meia boca anunciando promoções, ofertas, ações promocionais via Twitter…e por fim, após uns 2 meses, reclamam que não conseguiram o “lucro esperado”… falta ainda cultura digital a alguns profissionais.

    É basicamente o mesmo processo de planejamento de uma campanha tradicional, porém na mídia social, com pessoas próximas à marca; é mais arriscado, porém, mostra resultado real… não apenas estimado!

    Qual o objetivo? Isso é fundamental…

    Quer apenas vender? Mídias sociais realmente não são para você!

    Quer comunicar, disseminar informação e criar um vínculo entre as pessoas e a sua marca? Aguarde um resultado a médio/longo prazo!

    Tem paciência e sabe o que quer? Seja bem-vindo!

    Algumas pessoas precisam aprender algumas coisas, meio óbvias, mas vitais para qualquer ação em redes sociais:

    1. Pessoas não são apenas consumidores, são comunicadores, disseminadores e influentes em seu meio… trate-os como tal, converse, debata, responda e respeite.
    2. Nada é de graça, é necessário investimento para conseguir resultados, como em qualquer outra mídia; caso não tenha conhecimento, contrate um profissional experiente ou uma assessoria digital para efetuar a comunicação.
    3. Seeding no começo é essencial!!!
    4. Promoções tambem, porém relevantes… que agreguem algo a empresa e aos consumidores, fazendo-os gostar cada vez mais da sua marca, como um amigo, não apenas como algo descartável.
    5. Pelo amor de Deeeeus, nunca twittem de 5 em 5 minutos, muito menos repitam mensagens ao longo do dia… colocou o link do seu site uma vez no dia, está ótimo… não fique twittando toda hora “XXXX a marca do sucesso – http://www.xxxxx.com.br”; isso além de desgatar e irritar é considerado Spam, dos feios.
    6. Erre, mas assuma, não ignore, nem critique quem te criticar; jogue o mais limpo possível!

    Por fim, voltando ao papo dos cases… não basta apenas roubar  ideias e tentar reproduzi-las na sua empresa; entenda, questione e estude cada um. Analise o que levou aquele milhar de pessoas a aderir a campanha, ou criticar a ação; APRENDA, não copie; essa é a principal regra!!!

    Algumas apresentações legais sobre o tema:

    Case Barack Obama

    Exemplos de cases positivos e negativos em social media

    Tecnisa e o Twitter

    Redes Sociais e a Humanidade 5.0

    Cases Made In Brasil – Web 2.0

     
  • Renato Limonge 3:47 pm em 13/07/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: gmail, , google games, google wave, google.me, império google, , monopólio google, orkut   

    Monopólio Google 

    Uma boa pergunta: A internet tem dono?

    Na verdade… não, provavelmente nunca terá (ênfase no provavelmente); porém é inegável que monopólios vão se formando aos poucos. É uma atitude padrão do ser humano querer cada vez mais poder sobre determinada região, objeto ou o que for; na internet também não seria diferente.

    Vemos sites nascendo, crescendo e morrendo em meses; vemos as mudanças, os assuntos voando, tornando-se obsoletos em horas… vemos o mundo girando bem mais rápido do que o comum.

    A pergunta é: Como dominar uma área tão instável e imprevisível como a internet? Ora… essa é fácil… basta ser uma fonte… mas não uma qualquer… uma que englobe todas as outras, uma referência, um Google!

    Como um site tão simples com um nome tão estranho e diversos similares conseguiu crescer tanto e tão rápido a ponto de se tornar referência? Resposta simples: Inovando!

    O Google não se viu apenas como um site de buscas, mas também como uma possibilidade para empresas divulgarem suas marcas, anunciarem… viu a possibilidade de disponibilizar métricas antes inexploradas por sites em geral… viu também que precisaria crescer junto com a rede, junto com os usuários, oferecer cada vez mais, cada vez melhor! Indexou serviços… e-mails, redes sociais… errou com o Wave e agora tenta dominar o meio com o “quase” finalizado Google.me e seu futuro Google Games.

    Google não é mais uma marca, um site… é uma referência, é visto com bons olhos, sinal de qualidade…

    O sonho de toda empresa, algumas com dedicação superior a 100 anos foi alcançado por uma da nossa geração, criada por um cara da nossa geração… seria inacreditável se não fosse um fato comprovado!

    Agora só nos resta pensar “Qual será a próxima do Google?”, tentar prever, criar algo inovador em cima disso e torcer para que comprem nossa ideia e nos integrem à família que engloba Orkut, Gmail e tantos outros “produtos” de qualidade; ou você pode mandar um CV e tentar a sorte… outro Google com certeza não nascerá tão cedo e como diz o velho ditado, se não pode vencê-los, junte-se à eles.

    Por fim… a internet pode até não ter dono, mas com certeza tem uma referência.

     
    • ocappuccino.com 8:24 pm em 14/07/2010 Link Permanente | Resposta

      Cara. Não conhecia teu blog. Mt bom, parabéns. Google com certeza é sinônimo e cresceu como ferramenta de busca, tanto é que o wave e o google buzz não ‘pegaram’. Claro que tem o gmail e orkut. Mas qnd fala em google lembra de quê??? Busca/Pesquisa.

      Abraços
      Mateus
      #comentariogratis

  • Renato Limonge 3:53 pm em 07/07/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: , chatroulette, harley-davidson, , ,   

    O fim do Chatroulette 

    Era uma vez, numa terra muito, muito distante… uma rede social que nasceu com um propósito: Apresentar o mundo ao mundo através de uma webcam.

    Pessoas que moravam a 300000km poderiam se conhecer e conversar como vizinhos; segundo essa rede (uma espécie de roleta russa social), uma japonesa e um peruano poderiam se encontrar, conversar e porque não, se relacionar. Dado isso, diversas empresas começaram a ver essa rede crescer e pensaram “Meu Deus, com apenas uma webcam eu poderia apresentar minha marca ao mundo de uma forma inusitada, e fazê-los gostar disso”, e assim nasceu um dos cases mais criativos em redes sociais até hoje – Harley-Davidson no Chatroulette.

    Tudo estava caminhando para que essa rede se tornasse uma forma inusitada de conhecer novas pessoas do mundo todo e se divertir com isso sem sair de casa… novas culturas, novos lugares… infelizmente a história não teve final feliz.

    A rede, que crescia muito e começava a chamar muito a atenção de todos, começou a ser invadida por uma raça conhecida na internet por depreciar toda e qualquer rede social – os “tarados”; homens com pouca massa encefálica, limitados a pensar unica e exclusivamente em um unico assunto – SEXO.

    Sendo assim, as pessoas que entravam na rede procurando por novas experiências, novas pessoas, novas culturas, viram-se cercadas por quarentões acima do peso com seus respectivos pênis na mão, executando uma masturbação social, à espera de alguma tarada ou apreciadora.

    Infelizmente para nós, esses tarados conseguiram dominar essa rede e acabar com a sua real intenção; hoje, o Chatroulette vive seus momentos finais… enquanto aguardamos seu óbito não podemos fazer mais nada… o sexo venceu, a cultura perdeu, como sempre…

    E mais uma vez vemos no mundo virtual o reflexo de uma sociedade pornô, que não pensa com a cabeça de cima…. infelizmente.

     
    • Larissa 1:46 pm em 04/08/2010 Link Permanente | Resposta

      Muito bom o seu texto Renato! Parabéns! A internet infelizmente é uma faca de dois gumes, o uso é que define a função de um instrumento virtual, e eu tb estarei de luto pelo chatroulette, pq meios de encontrar gente bacana em conversar pela net já não existe mais mesmo ><"

  • Renato Limonge 11:44 am em 06/07/2010 Link Permanente | Resposta
    Tags: calabocagalvao, , , , , web 2.0   

    Bem-vindo ao mundo 2.0 

    Mais um blog sobre mídias sociais?

    Espero que não… esse blog chega com a intenção de agregar, informar e discutir, não apenas somar!

    Não é novidade para ninguém que estamos no meio de uma revolução, tanto na maneira de se comunicar, quanto na maneira de saber, aprender, ensinar e ver… não só o mundo, como nós mesmos.

    Pensando bem, esse “novo mundo” é uma evolução natural…se bem utilizado, pode trazer inúmeros benefícios a consumidores, pessoas, empresas ou a quem dominá-lo; somos enfim, parte dele, e ele, parte nossa… foram as pessoas que o criaram, que o alimentaram e que o deixaram desse tamanho, com essa proporção. Me espanta pensar que tem gente que ainda se assusta com a evolução e com o crescimento constante de redes como o Twitter, com a repercussão que causam e como podem derrubar o mundo em 140 caracteres; pensem bem, o Twitter é o exemplo perfeito da humanidade – Poucas palavras, inúmeros debates, comodidade, protestos, fofocas, notícias, críticas e humor; sem risco de apanhar ou ser assassinado pelo que diz, é um oásis para quem quer se expressar, quem não quer fazer parte disso?

    Em que outro lugar podemos xingar o Galvão Bueno, divulgar produtos, bater papo com amigos, saber o que acontece com o mundo (praticamente) em tempo real e ainda rir de gringos que não entendem absolutamente nada do que falamos?

    Bem-vindos ao mundo 2.0, bem-vindos ao Socialmente Midiado. =)

     
c
escrever novo post
j
post seguinte/ comentário seguinte
k
post anterior/comentário anterior
r
Resposta
e
Editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
vá para login
h
mostrar/ocultar ajuda
shift + esc
Cancelar